Novos Smartphones Sony Xperia X não terão suporte ao Quick Charge 3.0



  

Empresa não explicou o motivo para a ausência do suporte a nova tecnologia.

A Sony anunciou recentemente após a feira MWC (Mobile World Congress) que iria acabar com a linha de smartphones "Z", antiga família de smartphones tops de linha da fabricante nipônica, para dar espaço a linha de smartphones Xperia "X", anunciada durante a MWC desse ano em Barcelona, na Espanha. Porém, uma nova informação a respeito da nova linha de smartphones da empresa não deve agradar nem um pouco os usuários: Os novos dispositivos não contarão com suporte a tecnologia de carregamento rápido da Qualcomm, o Quick Charge 3.0.

A tecnologia sucessora do Quick Charge 2.0 foi lançada no ano passado, em Setembro, e faz com que seu smartphone seja carregado ainda mais rapidamente do que na versão anterior, o fato é que não apenas a Sony como outras empresas, a exemplo da sul-coreana Samsung com seus novos smartphones S7, vem deixando o Quick Charge 3.0 de fora de seus smartphones, já que ainda nem todos os chipsets possuem suporte a nova tecnologia da Qualcomm.

A empresa não se pronunciou a respeito dos motivos que a levaram a não dar suporte ao Quick Charge 3.0, porém, certamente não foi por falta de compatibilidade com os chipsets dos smartphones, já que tanto o Snapdragon 650 como o Snapdragon 820, os dois chipsets presentes nas versões do Xperia X, possuem suporte a tecnologia. No caso da Samsung, citado anteriormente, o motivo dado foi que o chipset Exynos 889, da própria sul-coreana, não possui compatibilidade com o Quick Charge 3.0, diferente do Snapdragon 820, também usado em seus novos smartphones.





Nesse quesito ao menos o LG G5, da também sul-coreana LG, sai na frente dos novos dispositivos da Samsung e da nipônica Sony, já que o smartphone da empresa irá contar com suporte ao Quick Charge 3.0 da Qualcomm, bem como alguns outros smartphones. A dúvida nesse caso é se o G5 será bem aceito por aqui, já que o dispositivo contará com uma versão bem mais simples para o mercado latino-americano do que para o restante do mundo, o que acabou enervando diversos consumidores que gostariam de contar com o dispositivo com toda sua potência anunciada.

Por João Trajano



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *