Modelo traz ótima performance e já começou a ser vendido pelo preço de R$ 729 à vista ou R$ 799 parcelado.

A Xiaomi, empresa chinesa, é conhecida popularmente no mercado por trabalhar com dispositivos móveis, principalmente smartphones. Como seus produtos são considerados de alta qualidade e possuem preços que as demais empresas não conseguem bater, a companhia atinge regularmente seus objetivos com sucesso.

Chamada também de “Apple Chinesa”, a Xiaomi, que possui somente três meses de atividades no Brasil, divulgou no dia 5 de outubro, segunda-feira, o lançamento de mais um smartphone para consumo nacional. A versão apresentada possui alguns upgrades em relação ao Redmi 2, sendo mais potente, e recebeu o nome de Redmi 2 Pro.  

As inovações do aparelho estão na performance. O novo modelo, Redmi 2 Pro, possui 2GB de RAM e 16GB de memória para armazenamento interno, ou seja, o dobro do antigo aparelho, o que certamente irá melhorar o desempenho das atividades multitarefa. Além disso, o smartphone possui uma tela IPS de 4,7 polegadas, bateria de 2.200 mAh, processador quad-core Snapdragon 410, câmera frontal de 2 megapixels, câmera traseira de 8 megapixels e continua com praticamente o mesmo hardware do Redmi 2.

O Redmi 2 Pro, a partir desta quinta-feira, dia 8 de outubro, às 12h, começou a ser vendido por um valor de R$ 729 para pagamento à vista nos "Eventos de Vendas" localizados no site da Xiaomi – br.mi.com. O site oferece como formas de pagamento as opções de boleto bancário ou cartão de crédito. Caso os consumidores decidirem por fazer o pagamento parcelado o valor do produto aumenta para R$ 799.

Os interessados em adquirir o aparelho devem finalizar a compra rapidamente no site, pois as unidades são limitadas. Geralmente, os eventos de venda online produzidos pela Xiaomi são realizados quando o estoque não é suficiente para atender a demanda.

A Xiaomi anunciou também que, a partir do dia 16 de outubro, a MIUI 7, sua nova interface customizada do Android, estará disponível para download.

Por Bruna Rocha Rodrigues

Xiaomi Redmi 2 Pro

Xiaomi Redmi 2 Pro

Fotos: Divulgação


Preços dos iPhones foram reduzidos no Brasil, mas dos tablets tiveram aumento de 40%.

Juntamente com o lançamento de novos iPhones e iPads no Brasil, a Apple também anunciou ajustes de preços em versões anteriores. Um dos grandes destaques foi, sem sombra de dúvidas, a redução de até 18% em modelos de smartphones de gerações passadas da Apple. Em contrapartida, os tablets registraram aumento de 40% em seu preço sugerido.

Vale ressaltar que a grande aposta da Apple para o mercado mundial são os iPhones 6S e 6S Plus. Um dos grandes destaques destes lançamentos é a câmera traseira de 12 megapixels de resolução. Além disso, a mesma possui capacidade para filmagem em 4K. A câmera dianteira conta com 5 megapixels de resolução.

Como já foi destacado nesta matéria, a Apple anunciou reajuste de preços em seus aparelhos mais antigos. O iPhone 5S de 16 GB, por exemplo, foi o que registrou a menor queda em seu preço sugerido: 8%, ou queda de R$ 2,5 mil para R$ 2,3 mil. Já a mesma versão, porém, com 32 GB registrou recuo de 13%, passando de R$ 2,9 mil para R$ 2,5 mil.

A maior redução registrada neste reajuste foi no iPhone 6 com capacidade para 16 GB que passou de R$ 3,5 mil para R$ 3,2 mil. Já o iPhone 6 de 64 GB e o 6 Plus (16 GB) tiveram baixa de 10% em seus respectivos preços sugeridos. O iPhone 6 Plus de 64 GB passou a ter preço sugerido de R$ 3,8 mil, ou seja, baixa de R$ 500 ante os R$ 4,3 mil anteriormente.

A Apple já anunciou sua grande aposta para o mercado: iPhones 6S e 6S Plus. É importante destacar que o mesmo ainda não possui previsão para ser lançado no Brasil, apesar de já ter sido confirmado ainda para este mês nos seguintes países: Porto Rico, Alemanha, Hong Kong, Cingapura, Reino Unido, Nova Zelândia, Austrália, Estados Unidos, China, Canadá, França, Japão.

Por Bruno Henrique

iPhones

Foto: Divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: