Confira aqui as configurações e o preço do novo smartphone da LG no Brasil.

A fabricante sul-coreana LG anunciou o lançamento de seu mais novo smartphone no Brasil, o LG G5 SE. Trata-se de uma versão mais simplificada de seu principal smartphone, o LG G5, lançado no mundo todo recentemente. Apesar de ter configurações inferiores comparado ao G5, o G5 SE será vendido no Brasil por um preço considerado alto para o mercado atual. O smartphone custará R$ 3.499, com o módulo LG CAM Plus gratuito para os primeiros compradores.

As configurações do LG G5 no mercado internacional acompanham um Qualcomm Snapdragon 820 e 4 GB de memória RAM. No Brasil, a versão é consideravelmente menos potente, com um Snapdragon 652 e 3 GB de memória RAM. O Snapdragon 652 conta com oito núcleos, rodando a 1,8 GHz, sendo quatro ARM Cortex A72 e quatro ARM Cortex A53. 

O aparelho chega para concorrer com os principais smartphones topo de linha do mercado, que apresentam especificações similares ou até superiores.

Segundo a LG mencionou no evento de lançamento do G5 SE no Brasil, a substituição do Snapdragon 820 pelo 652 não deve interferir na experiência de uso do smartphone, tendo em vista que ele deverá continuar com processamento rápido como os mais modernos smartphones disponíveis no mercado atual. Além disso, a escolha por um processador mais limitado certamente diminuiu o preço do aparelho, apesar de ainda ser considerado caro.

O grande diferencial da linha G5 são seus módulos que podem ser substituídos sempre que o usuário achar necessário. A LG venderá quatro módulo para seu novo aparelho no Brasil. Trata-se do LG Cam Plus (R$ 649), G5 Hi-Fi Plus (R$ 1.299), Cam 360 (R$ 1.799) e G5 B&O (R$ 1.399). Vale a pena ressaltar que estes não são todos os módulos disponíveis para a linha G5 & Friends.

O LG G5 SE, que roda o Android 6.0 Marshmallow, tem uma tela de 5,3 polegadas, com resolução QuadHD (1440 x 2560 pixels). Ele também conta com duas câmeras de qualidade. A frontal tem 8 megapixels, enquanto a câmera traseira tem 16 megapixels, foca a laser, possui abertura f/1.8 e flash LED. Sua bateria é de 2.800 mAh e ele conta com 32 GB de armazenamento interno, expansível via cartão microSD de até 2 TB.

Por William Nascimento


Smartphone teria design diferente e ganharia botão \”home\” físico e chassi em metal.

A Lenovo decidiu enfim modificar a aparência do Moto X, algo que já era esperado e prometido pela marca que manteve a linha “Moto” com o sufixo “by Lenovo”. Acontece que no fim de 2015, uma imagem do que seria o novo Moto X (a ser lançado em 2016) vazou na internet e não foi levada à sério até a manifestação de Evan Blass em seu Twitter ( @evleaks) – o especialista em vazamentos comentou ainda: “Who woulda thunk it? Turns out this is 100% real”. ( “Quem pensaria isso? Acontece que ele é 100% real.” ).

As renderizações do aparelho voltaram a aparecer, mostrando bordas arredondadas e traseira plana com o logo Motorola e uma câmera protuberante, que lembra muito a usada no Lumia 950 XL. Além disso, é possível ver na imagem pinos dourados, com um suposto plug no centro. Os pinos levantaram a hipótese de o Moto X 2016 utilizar um carregador similar ao Smart Connector da Apple. Outro ponto é o botão “Home” físico – diferente de versões antecessoras da linha, que de acordo com boatos, estaria trazendo a leitura biométrica ao Moto X.

O chassi de metal traz grandes mudanças, mas o que se vê é que o modelo não agradou o antigo público do Moto X, que discute que a Lenovo teria tirado a identidade do celular. Particularmente – como usuário e consumidor – o design também não me agradou, abandonando a traseira arredondada e os Speakers na parte inferior do aparelho. Os usuários ainda dizem sobre um design genérico trazido pelas empresas chinesas, que estão tomando conta desse mercado.

Sobre os componentes do smartphone, ainda sabe-se pouco, é sabido apenas de um SoC Snapdragon 820 e 4 GB de RAM. Numa outra imagem do TechWeb pôde-se ver um cano de refrigeração como o do Xperia Premium. Diz-se que o aparelho rodará com o sistema operacional Android 6.0.1 Marshmallow.

Ainda com as imagens lançadas, é possível observar no visor do celular uma data, remetendo ao dia 24 de Agosto, possível lançamento do aparelho segundo os internautas. Ao contrário disto, o CEO da Lenovo, Yang Yuanqing, durante uma apresentação sobre um lançamento de uma subsidiária da Lenovo, disse que em 9 de Junho seria apresentado o novo Smartphone da linha Moto. É importante lembrar que já em 17 de Maio, a nova geração do Moto G também será apresentada.

Tobias Lobo C.


Empresa não explicou o motivo para a ausência do suporte a nova tecnologia.

A Sony anunciou recentemente após a feira MWC (Mobile World Congress) que iria acabar com a linha de smartphones "Z", antiga família de smartphones tops de linha da fabricante nipônica, para dar espaço a linha de smartphones Xperia "X", anunciada durante a MWC desse ano em Barcelona, na Espanha. Porém, uma nova informação a respeito da nova linha de smartphones da empresa não deve agradar nem um pouco os usuários: Os novos dispositivos não contarão com suporte a tecnologia de carregamento rápido da Qualcomm, o Quick Charge 3.0.

A tecnologia sucessora do Quick Charge 2.0 foi lançada no ano passado, em Setembro, e faz com que seu smartphone seja carregado ainda mais rapidamente do que na versão anterior, o fato é que não apenas a Sony como outras empresas, a exemplo da sul-coreana Samsung com seus novos smartphones S7, vem deixando o Quick Charge 3.0 de fora de seus smartphones, já que ainda nem todos os chipsets possuem suporte a nova tecnologia da Qualcomm.

A empresa não se pronunciou a respeito dos motivos que a levaram a não dar suporte ao Quick Charge 3.0, porém, certamente não foi por falta de compatibilidade com os chipsets dos smartphones, já que tanto o Snapdragon 650 como o Snapdragon 820, os dois chipsets presentes nas versões do Xperia X, possuem suporte a tecnologia. No caso da Samsung, citado anteriormente, o motivo dado foi que o chipset Exynos 889, da própria sul-coreana, não possui compatibilidade com o Quick Charge 3.0, diferente do Snapdragon 820, também usado em seus novos smartphones.

Nesse quesito ao menos o LG G5, da também sul-coreana LG, sai na frente dos novos dispositivos da Samsung e da nipônica Sony, já que o smartphone da empresa irá contar com suporte ao Quick Charge 3.0 da Qualcomm, bem como alguns outros smartphones. A dúvida nesse caso é se o G5 será bem aceito por aqui, já que o dispositivo contará com uma versão bem mais simples para o mercado latino-americano do que para o restante do mundo, o que acabou enervando diversos consumidores que gostariam de contar com o dispositivo com toda sua potência anunciada.

Por João Trajano


Vendas do novo aparelho da Samsung começará no dia 2 de abril e os preços variam de R$ 3.799 a R$ 4.299.

No Brasil, não há como negar que a Samsung é uma das fabricantes que dominam com supremacia não só o mercado, mas também a preferência dos consumidores quando o assunto é smartphones. E a fim de se manter na vanguarda da preferência de vendas no mercado nacional que a Samsung está lançando, no Brasil, os seus novos smartphones topo de linha, aparelhos estes que começarão a ser comercializados pela empresa por aqui a partir do dia 02 de abril.

Mesmo chegando ao Brasil 40 dias após ser lançado no mercado global, os aparelhos S7 e S7 Edge chegaram ao mercado com um preço de aquisição mais em conta se comparado aos seus principais concorrentes da Apple, uma vez que os modelos têm preços sugeridos em R$ 3.799 (para o S7) e R$ 4.299 (para o S7 Edge), enquanto os modelos de ponta da concorrente, os novos iPhones, possuem valores de comercialização que variam entre R$ 3.999 (para o iPhone 6S de 16GB) a R$ 4.899 (para o iPhone 6S Plus de 128 GB).

Aqui no mercado nacional estes novos aparelhos da Samsung serão comercializados nas cores preta, dourada e prata. Para aqueles que necessitam de uma capacidade maior de armazenamento de dados, a notícia que não irá agradar é a de que o produto não será mais disponibilizado na versão com 64 GB, sendo que a versão que terá maior capacidade de armazenamento será a de 32 GB.

A grande novidade que será trazida por estes modelos é a presença da câmera Dual Pixel, que juntamente com uma maior abertura do sensor proporcionou ao aparelho uma sensibilidade à luminosidade 56% maior que a do S6. A câmera frontal do aparelho continua com os mesmos 5 megapixels do S6, contudo a câmera da retaguarda possui uma resolução de 12 MP, valor este que sofreu uma redução se comparado à câmera traseira do S6, que continha 16 MP, todavia convém ressaltar que esta redução de megapixels não serve para mensurar uma pior qualidade de fotografias em relação ao modelo anterior.

A tela deste novos aparelhos ficam ligadas definitivamente, isso graças à nova tecnologia inserida nos displays chamada Always-On, com essa tecnologia a exibição das horas, notificações de mensagens e chamadas, bem como desenhos simples que podem ser utilizados para personalizar o display, são exibidos continuamente, de modo que esta função consome apenas 1% da bateria do aparelho por hora.

Com relação ao design, os modelos ficaram similares aos modelos anteriores, da linha S6, porém, voltaram a ser à prova d’água, sendo que eles podem ficar submersos ao limite máximo de uma profundidade de 1,5m pelo período de 30 minutos.

Por Adriano Oliveira


Aparelho chega ao Brasil custando mais que o iPhone 6S Plus e Galaxy S6 Edge+.

O novo smartphone top de linha da Sony foi anunciado há algum tempo e está se preparando para chegar ao Brasil. O Xperia Z5 Premium é o primeiro aparelho do mundo a entregar ao usuário uma tela com resolução em 4K (ultra-alta-definição), a maior disponível no mercado. Isso significa que o aparelho de 5,5 polegadas tem uma resolução de 2.160 x 3.840 pixels.

Especialista em sensores para câmeras (a empresa fabrica os sensores do iPhone), a Sony entrega uma câmera com incríveis 23 MP na traseira e 5 MP na câmera frontal.

A bateria, em seu modo econômico, pode manter o celular ligado por dois dias, um bom diferencial nos tempos em que autonomia é cada vez mais importante. O Xperia Z5 Premium vem com uma memória RAM de 3G e 32GB de armazenamento interno, este pode ser expandido para até 200GB através de cartão de memória.

O aparelho deve ser também um dos mais caros disponíveis no país. O preço da versão mais simples deve ficar em torno dos R$ 4.699. Enquanto isso, Apple (iPhone 6S Plus) e Samsung (Galaxy S6 Edge+) oferecem seus top de linha por R$ 4,6 mil e R$ 3,9 mil, respectivamente.

Diversas lojas nacionais já começaram a anunciar uma pré-venda dos aparelhos, mas nenhuma grande varegista anunciou uma data para a entrega dos aparelhos. Apesar do preço alto, espera-se uma queda gradativa com o passar dos meses.

Para os amantes da marca, o lançamento pode significar também a chegada de uma nova era na companhia japonesa, uma vez que o Xperia Z5 Premium deve ser o último aparelho da linha Z. A empresa deixará de fabricar mais modelos da linha Z para se dedicar ao novo top de linha, que receberá a sigla X. Dentre os diversos modelos apresentados ao mercado, o de maior destaque é o Xperia X Performance, que deverá concorrer diretamente com o Galaxy S7.

"A linha Xperia Z atingiu o seu ponto culminante – a série Xperia X representa um novo capítulo e evolução da nossa estratégia de produtos", disse a Sony em nota divulgada no mês passado.

Por Fhilipe Pelájjio


Desbloqueio foi realizado através de um dedo de argila com impressões digitais do dono do aparelho.

A Apple, bem como outras empresas do ramo, vem investindo fortemente na tecnologia que permite ao usuário não somente desbloquear seu smartphone com suas impressões digitais, como também permite ao usuário poder deixar as senhas de lado, facilitando sua vida. Porém, é claro que mesmo com a tecnologia sendo confiável, ainda há maneiras de burlar tal segurança, uma delas foi demonstrada durante a feira MWC (Mobile World Congress) desse ano, na cidade de Barcelona, na Espanha.

A empresa da maçã vem usando o leitor de impressões digitais desde o iPhone 5S, porém, um grupo de pesquisadores presentes na MWC mostrou que embora de fato a tecnologia seja segura, ainda há brechas para desbloquear o smartphone sem necessariamente ser por meio do usuário. A demonstração usou um dedo em argila.

O Vkansee é o grupo de pesquisadores que utilizou um dedo em argila do próprio presidente da empresa, Jason Chaikin, para desbloquear o dispositivo da Apple.

É evidente que dificilmente alguém perderá seu tempo e se arriscará com um tarefa tão bizarra quanto esculpir o dedo de um pessoa sem que ela perceba para poder utilizar seu iPhone, que ainda precisaria ser roubado, mas é claro que não deixa de ser uma demonstração de que sim, é possível desbloquear os aparelhos da Apple com o Touch ID, sem ser por meio do usuário.

Segundo Chaikin, seu objetivo não foi simplesmente desmerecer o serviço da Apple apontando falhas para o sistema, mas sim mostrar que embora extremamente útil e mais seguro do que as senhas, ainda é preciso aprimorar o Touch ID, bem como outros smartphones que contam com o leitor de impressões digitais.

A Apple anunciou que não irá comentar o caso, mas assegurou que o Touch ID é uma opção segura para seus usuários e que após apenas 5 tentativas falhas de se desbloquear o smartphone com as impressões digitais do usuário, é necessário que o mesmo insira uma senha pré-definida. Na rede, o feito comprovado por Chaikin parece não ter preocupado muito os usuários, já que como mencionado, seria um tanto como bizarro alguém fazer algo do gênero para poder desbloquear seu iPhone.

Por Isis Genari


Aparelho está mais moderno e estiloso. Principal novidade é a possibilidade de conectar acessórios para melhorar o aparelho.

A LG confirmou os rumores e lançou recentemente o G5, um dos smartphones top de linha mais esperados do ano. Com design moderno e corpo metálico, a marca preservou a possibilidade de remoção da bateria e inovou em funcionalidades que permitem gravação em 360º e também possibilitam a transformação do dispositivo em uma caixa de som.

O G4, antecessor da linha, também possibilitava a remoção da bateria, esta ação, no entanto, era feita através da parte traseira do dispositivo. Agora, no G5, o acessório pode ser retirado pela parte inferior do smartphone. O conceito Magic Slot é bastante explorado e significa o funcionamento em uma espécie de “gaveta”.

Juno Cho, responsável pela divisão mobile da marca, ressaltou que anteriormente os consumidores precisavam optar por conveniência ou design. Com o G5 e seu conceito o modular, ambos os diferenciais podem ser obtidos.

O G5 pode facilmente se transformar em uma câmera digital com desempenho profissional, para tanto, basta que um gadget seja encaixado ao aparelho. Uma das apresentações da empresa foi a LG360Cam, capaz de capturar fotos, imagens e vídeos em 360º, com opção de upload para o Youtube ou Google StreetView. Os acessórios adicionais prometem transformar o celular para atender a outras necessidades de maneira satisfatória.

Outra inovação é a “tela que nunca apaga”, ou seja, a exibição de notificações permanecerá sempre ligada. A empresa usou a justificativa de que usualmente as pessoas “acendem” a telas 150 vezes por dia. É muito válido ressaltar que, segundo a empresa, esta funcionalidade praticamente não irá afetar o desempenho da bateria.

Já no fator potência, o dispositivo chega com tela de 5,3 polegadas, processador Snapdragon 820 quadcore, 4GB de RAM, entrada USB-C (padrão novo), leitor de impressão digital, Câmera frontal de 8MP, Bateria de 2.800 mAh, entre outros.

A previsão de chegada do modelo ao Brasil está prevista apenas para Abril. A empresa não divulgou por qual valor o G5 chegará às lojas, apesar disso, é possível usar seu antecessor como base, o G4 chegou com preço de R$ 2.999,00. 

A cada dia que passa a LG conquista um número maior de consumidores e se aproxima mais dos principais concorrentes, como a Apple e Samsung. A empresa está na constante busca pela equiparação e se continuar nesse caminho, logo alcançará seus objetivos.

Por Beatriz





CONTINUE NAVEGANDO: