iPhone 5CA Apple lançou há algumas semanas a mais nova versão do iPhone em duas edições diferentes, conhecidas como 5S e 5C.

A versão 5S é mais cara, possui a clássica estrutura metálica do aparelho e ainda vem com um leitor biométrico e hardware levemente melhor. Já a versão 5C foi designada para um público mais enxuto e não possui o leitor biométrico além de vir com uma capa de plástico em diversas cores diferentes.

Poucas semanas após seus lançamento, o aparelho já é vendido com descontos em vários países. A China agora passou a disponibilizar versões do modelo 5C por USD $604. O aparelho antes era vendido por cerca de USD $733. Segundo o periódico chinês Caijing, isso acontece devido às características relativamente inferiores do aparelho em comparação ao seu irmão mais charmoso, o iPhone 5S.

A maioria dos consumidores da Apple tem uma preferência por produtos top de linha e o 5S com hardware mais potente e um leitor biométrico pode atrair mais os consumidores, fazendo as vendas do modelo 5C caírem ao ponto de ser necessária uma redução de seus valores.

Esse comportamento pode ser observado também em vários outros mercados ao redor do mundo, inclusive nos EUA. No entanto, é possível que o lançamento de dois modelos simultaneamente tenha sido uma estratégia da empresa para alavancar as vendas e atingir um público “de entrada”, assim, como já fazem a maioria das suas concorrentes do setor, algo que parece estar funcionando muito bem para a Apple.

Por Ebenézer Carvalho


A Nokia está em situação cada vez mais delicada no mercado de smartphones. A participação da companhia está caindo de maneira vertiginosa, o que deve obrigá-la a tomar algumas medidas. E elas já estão acontecendo. A empresa está promovendo um corte geral nos preços do smartphones. Modelos como o ótimo N8, que tem câmera de 12 MP, o C7 e o E6 (destinado ao ambiente corporativo) ganharão descontos em torno de 15%.

Outros aparelhos também terão preços reduzidos. A Nokia, no entanto, não confirmou os valores e percentagens, limitando-se a dizer, através de um porta-voz, que essas reduções são medidas comuns do negócio. Ou seja, a empresa não demonstra algum tipo de desespero em melhorar as vendas. O fato é que a companhia enfrenta a concorrência cada vez mais acirrada de empresas como Apple, Samsung e Motorola.

Segundo o Gartner, a Nokia perdeu participação no mercado no último ano, caindo de 39 para 25,5%. Além de medidas como redução de preços, a parceria com a Microsoft anunciada no início do ano terá papel crucial no processo de recuperação do espaço perdido. Ainda este ano espera-se o lançamento do primeiro smartphone Nokia com o sistema operacional Windows Phone.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: Folha


A Apple já vendeu aproximadamente 3 milhões de iPads. E o iPhone 4 atingiu a marca de 1 milhão e meio de unidades vendidas em cerca de dois dias, mais ou menos. São números fantásticos e a empresa comemora.

Na outra ponta dessa gangorra está a Microsoft e seus celulares Kin One e Kin Two. Embora nada seja confirmado, há quem diga que os aparelhos venderam mais ou menos umas 500 unidades. Diante disso, a operadora responsável pelos celulares, nos Estados Unidos, a Verizon, parece que resolveu fazer uma liquidação e cortou os preços.

Para se ter uma ideia do que está acontecendo, o Kin On passou a ser vendido a 29 dólares, quase a metade do valor anterior. Já o Kin Two teve seu preço reduzido de 99 para 49 dólares.

Seria esse um indício de que a Microsoft pisou na bola ao tentar enfrentar a Apple em seu terreno? Não podemos esquecer que o Google também não obteve êxito com o seu Nexus One.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: Tecnoblog





CONTINUE NAVEGANDO: