Se você ainda costuma fazer bastantes ligações através de seu telefone fixo diretamente para aparelhos móveis, saiba que haverá redução nas tarifas referentes a este tipo de chamada. Vale ressaltar que a redução será válida tanto para chamadas locais, bem como para as chamadas de longa distância. Segundo o ato publicado pela Anatel no Diário Oficial da União do dia 12, essa mudança será válida a partir do dia 24 de fevereiro.

Além disso, é importante destacar que também entrará em vigor no dia 24 de fevereiro a queda de valores de referência. Essa queda será justamente no Valor de Uso de Rede Móvel (VU-M) para toda e qualquer prestadora que pertença ao grupo com Poder de Mercado Significativo (PMS) no Mercado de Oferta de Interconexão em Redes Móveis. Essa mudança é referente a um ato publicado pela Anatel em dezembro de 2013.

De acordo com as mudanças aqui citadas, saiba que as chamadas locas (VC-1) devem ficar até 22% mais baratas em média.

Em uma rápida comparação com as principais operadoras do país, saiba que a tarifa da Oi para a Claro no Rio de Janeiro deve ficar no valor de R$ 0,18 o minuto. Outro destaque vai para uma ligação da Telefônica para Vivo, sendo no estado de São Paulo, a taxa da ligação deve cair para R$ 0,19 o minuto. É importante ressaltar que os valores aqui citados são para horário reduzido e não constam de incidência de impostos.

Em relação às chamadas de longa distância de fixo para móvel com DDDs diferentes, na mesma região, terão uma redução de 14%.

Para aqueles que não sabem a redução de custo nas chamadas de fixo para móvel só foi possível graças à queda das taxas de interconexão. Além disso, outro destaque nesses anúncios foi a queda da VU-M, já que se trata da quinta redução seguida. Com isso, esta taxa chegou a uma diminuição de 50% se compararmos ao valor antes da primeira redução.

Por Bruno Henrique

Telefone fixo


Estudos comprovam que utilizar celulares pré-pagos pode sair até 130% mais caro. A pesquisa foi feita pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) e o objetivo era comemorar o Dia do Consumidor. Entretanto, a notícia surpreendeu muitos clientes, uma vez que consideraram os preços e serviços publicados como exorbitantes.

Algumas empresas de telefonia não forneceram dados sobre o serviço e os resultados mostraram as diferenças de preços cobrados pelas quatro principais operadoras de telefonia móvel: Claro, Oi, TIM e Vivo. Dentre elas, a Oi é a que possui o valor mais barato do grupo, com diferenças de até 35%. Em seguida, tivemos a TIM, com o plano pré-pago Infinity Pré, cujo valor por minuto é de R$ 1,59 e o plano mais barato é de R$ 49. Entretanto, a diferença do pré-pago para o pós-pago foi de 55,8%.

A Vivo, uma das operadoras mais conhecidas no país e que funciona em praticamente todos os estados brasileiros apresentou variação de 58% no preço do minuto do pré-pago e do pós. Para quem aderiu ao plano, ele pode sair a partir de R$ 61, enquanto nos celulares pré-pagos o minuto é cobrado por R$ 1,56.

Por fim, temos a Claro, operadora que tem contado com inúmeras reclamações nos últimos meses e foi a que apresentou variação de 132% se compararmos os dois planos, ou seja, é a que teve o valor do minuto mais caro. No plano Toda Hora, o preço no pré-pago sai por R$ 1,60, no caso de ligações para telefones fixos e para outras operadoras. Entre celulares Claro, o preço é de R$ 1,56. Quem opta por ter um telefone móvel pós-pago, o valor da mensalidade pode sair por R$ 89. Desta forma, é importante que o usuário saiba qual tipo de celular sairá mais barato e qual o tipo de plano mais rentável para seu bolso. 

Por Luciana Viturino

Celular

Foto: Divulgação


Se tem alguém que chora muito é o nosso bolso, principalmente, quando o assunto é tarifa de celular. Segundo a União Internacional de Telecomunicações – UIT, o Brasil é o país que possui a tarifa de chamada de celular mais alta, em termos absolutos. O que já era de se esperar.

Quer ver como isso funciona em outras regiões?! Fazendo comparações: enquanto os brasileiros pagam por minuto uma chamada para a mesma operadora, em horário de pico, U$$ 0,71, aproximadamente, e para operadoras diferentes, U$$ 0,74, nos EUA e em Portugal, o valor cobrado três vezes menor.

Mais assustador ainda é a comparação feita com a Espanha, a qual é cinco vezes mais barata. Agora pasmem: um minuto no celular, em Hong Kong, custa apenas U$$ 0,01, ou seja, o Brasil é setenta vezes mais caro.

E o resultado decepcionante não para por aqui. O Brasil ainda ocupa a 93º posição, entre 161 países avaliados, no quesito tarifas de telefonia fixa e internet. Embora, a respeito do custo de banda larga, o país ocupa a 55ª posição, em termos de taxas mais baratas; ocupando a 3ª posição nas Américas. Quanto à telefonia fixa, o Brasil está posicionado no 112º lugar, entre os mais caros.

São números que assustam, mas que no dia a dia são bem visíveis.

Por Karen Igari


Com tarifações ainda muito caras e com pouca liberdade para a utilização dos bônus, muitos serviços ainda não são comumente usados pelos celulares.

Um caso é a leitura de e-mails e visitação aos sites de bancos e compras pela internet. Varias razões podem ser apontadas, como a baixa velocidade, um sistema ainda pouco confiável, bem como a falta de hábito dos usuários.

Mas ainda é considerado um serviço promissor, afinal mais de 70% dos usuários ainda mostram vontade de usar o celular para tais práticas, bastando apenas as operadoras acharem um modelo de aproximar e tornar mais cômodo o acesso pelos celulares.

Por José Alberi Fortes Junior.


O plano Liberty da operadora TIM, para a região Sul, é um plano muito atrativo para quem deseja gastar pouco e falar bastante.

Com uma forte campanha publicitária, a operadora TIM divulga que somente comprando um chip avulso é possível ganhar descontos por 1 ano.

Inicialmente vendido por R$ 99,00 por mês, agora o valor é de R$ 39,00 mensais nos primeiros 12 meses.

Segundo a TIM, quem aderir ao plano, poderá falar com clientes TIM ilimitadamente em ligações locais e DDD, com roaming Nacional inteiramente gratuito.

Não existe a fidelidade de plano e ainda é possível ganhar mais R$ 120,00 de desconto no plano nos primeiros 6 meses, após o primeiro ano de adesão.

Para mais informações acesse www.tim.com.br ou ligue para o 0800 741-4141.

Por José Alberi Fortes Junior.


Segundo relatado pelo site da Globo.com, o Brasil é o país que apresenta as maiores taxas de uso do celular do mundo, mesmo com a diminuição destas em cerca de 25% atualmente.

E os altos preços também se alastram para o uso de internet banda larga, que em nosso país ainda atinge uma pequena parcela da população, pelo seu alto custo mensal.

A tecnologia vem se difundindo muito rapidamente e hoje podemos contar com celulares, internet vinte e quatro horas por dia em alta velocidade, TVs por assinatura com milhares de canais enfim, opção é o que não falta nesta área.

Mas, percebe-se que, em relação aos outros países, o Brasil ainda precisa melhorar um pouco na questão do custo que toda esta tecnologia tem para o consumidor. Mesmo com os avanços já obtidos, ainda é preciso caminhar um pouco mais.


Segundo pesquisa divulgada numa reportagem do Valor Econômico, o Brasil possui a tarifa de celular mais cara do mundo. Apesar de gastar menos de sua renda com o serviço de telefonia, o brasileiro continua pagando caro às operadoras.

A empresa responsável pela pesquisa UIT, União Internacional de Telecomunicações, afirmou que a pesquisa foi realizada em 159 países, e o Brasil está em 121º lugar nos custos dos serviços.

Mas, levando em conta o poder de compra do brasileiro, o Brasil fica em último na pesquisa. Os valores elevados representam um obstáculo a ser superado ao acesso e às novas tecnologias de comunicação, segundo a UIT.





CONTINUE NAVEGANDO: