Um dos grandes atrativos de smartphones na atualidade é a sua capacidade de navegação cada vez maior com as redes 3G.

E agora para verificar a velocidade e a qualidade da conexão de banda larga móvel está disponível um software desenvolvido pela Anatel.

Para utilizá-lo basta acessar o site Brasil Banda Larga e colocar o mesmo para rodar a partir de um smartphone ou tablet e logo em seguida os resultados são apresentados no próprio aparelho.

A velocidade mínima instantânea deve ser de 20% do valor contratado pelo cliente que equivalem a 2 MBps, mas a meta da Anatel para todas as operadoras é garantir 60% da velocidade que foi acordada com os usuários.

Fonte: MacWorld

Por Ana Camila Neves Morais


Com a intenção de preparar a infraestrutura do país para a Copa de 2014, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) anunciou a antecipação dos leilões das licenças para operação das faixas de freqüência de 2,5 Ghz, que inicialmente estavam previstos para o ano de 2012, para o ano de 2011. 

É a introdução da quarta geração da tecnologia de telefonia móvel no país, com uma conexão 100% portátil. A Anatel quer que o 4G já esteja em operação para 2013.

Será possível, com a nova tecnologia, a troca de arquivos com uma velocidade de até 100 Mbps. Isso permitirá tanto a introdução de inovações nas áreas de terminais, quaisquer que sejam os dispositivos conectados, quanto nas produções de conteúdos e bens culturais, além das formas de comercialização destes produtos. Mas o 3G continua ainda no mercado, por um tempo que pode variar até 10 anos.

Por Cintia Santoro


Orgãos de defesa do consumidor e o Ministério da Justiça questionam o fato dos cartões de celular pré-pago terem prazo de validade para seus créditos.

Para resolver este problema, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), comunicou que está estudando a criação de um cartão telefônico para celular que possa ser usado em qualquer aparelho e que tenha um prazo de uso ilimitado.

A Anatel afirma que já pretendia criar este serviço desde o início das operações do sistema de pré-pago, mas ainda não definiu questões técnicas referentes a plataforma de cobrança do serviço.

Ronaldo Sardenberg, presidente da Anatel, afirmou que a agência trabalha em parceria com o Ministério da Justiça na busca de uma solução técnica que seja melhor para o consumidor.

Por Mauro Tavares

Fonte: Folha de São Paulo





CONTINUE NAVEGANDO: